Deprecated: mysql_connect(): The mysql extension is deprecated and will be removed in the future: use mysqli or PDO instead in /home/storage/a/bd/22/favelarte1/public_html/adodb/drivers/adodb-mysql.inc.php on line 364

No dia 31 de janeiro de 2014, o governador do Estado do Rio de Janeiro anunciou que seria mantida a tarifa do metrô (R$ 3,20). No dia 02 de abril ela foi reajustada, passando para R$ 3,50. Segundo o governador o reajuste anual está previsto no contrato de concessão. A passagem do metrô do Rio é mais cara do país e do mundo.
Usuários sempre se queixam de atrasos, super lotação, queda de energia, não funcionamento do ar condicionado, dentre outras coisas e consideram que o preço não vale o serviço oferecido.
Multas não tem feito esse serviço melhorar.

No dia 10/07, a Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro (Agetransp) manteve a multa ao Metrô Rio de R$ 288.941,38, referente ao desacoplamento mecânico, na noite do dia 16 de janeiro deste ano, entre dois carros do transporte, que terminou em paralisação da circulação dos trens da Linha 2 durante 90 minutos, entre as estações de Irajá e Colégio.

Diariamente são cerca de 700 mil pessoas que viajam no metrô do Rio.
A concessão foi dada ao Grupo Invepar que assumiu o controle em 2008, ao pagar R$995,7 milhões ao Citigroup Venture Capital (CVC), Investidores institucionais do Fundo de Investimento em Participações (IIFIP) e à Fundação Vale do Rio Doce de Seguridade Social (Valia)
As novas linhas planejadas são a 3 e a 4. A Linha 3 do Metrô Rio de Janeiro que vai ligar as cidades de São Gonçalo e Niterói tem o investimento de R$ 3 bilhões, beneficiará 400 mil usuários. A Linha 4, que ligará a Barra da Tijuca, na Zona Oeste, à Ipanema, na Zona Sul, atenderá uma média de 150 mil pessoas por dia. O custo do empreendimento é de R$ 8,5 bilhões.

3º documentário do Projeto Direito a cidade e Mobilidade Urbana. Impacto da Copa de 2014 na região Portuária do Rio de Janeiro

">

“A Providência é tão importante para o Rio quanto o Corcovado, a Lagoa ou o Pão de Açúcar.” LUIZ ANTÔNIO SIMAS, HISTORIADOR

No dia 31 de janeiro de 2014, o governador do Estado do Rio de Janeiro anunciou que seria mantida a tarifa do metrô (R$ 3,20). No dia 02 de abril ela foi reajustada, passando para R$ 3,50. Segundo o governador o reajuste anual está previsto no contrato de concessão. A passagem do metrô do Rio é mais cara do país e do mundo.
Usuários sempre se queixam de atrasos, super lotação, queda de energia, não funcionamento do ar condicionado, dentre outras coisas e consideram que o preço não vale o serviço oferecido.
Multas não tem feito esse serviço melhorar.

No dia 10/07, a Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro (Agetransp) manteve a multa ao Metrô Rio de R$ 288.941,38, referente ao desacoplamento mecânico, na noite do dia 16 de janeiro deste ano, entre dois carros do transporte, que terminou em paralisação da circulação dos trens da Linha 2 durante 90 minutos, entre as estações de Irajá e Colégio.

Diariamente são cerca de 700 mil pessoas que viajam no metrô do Rio.
A concessão foi dada ao Grupo Invepar que assumiu o controle em 2008, ao pagar R$995,7 milhões ao Citigroup Venture Capital (CVC), Investidores institucionais do Fundo de Investimento em Participações (IIFIP) e à Fundação Vale do Rio Doce de Seguridade Social (Valia)
As novas linhas planejadas são a 3 e a 4. A Linha 3 do Metrô Rio de Janeiro que vai ligar as cidades de São Gonçalo e Niterói tem o investimento de R$ 3 bilhões, beneficiará 400 mil usuários. A Linha 4, que ligará a Barra da Tijuca, na Zona Oeste, à Ipanema, na Zona Sul, atenderá uma média de 150 mil pessoas por dia. O custo do empreendimento é de R$ 8,5 bilhões.

3º documentário do Projeto Direito a cidade e Mobilidade Urbana. Impacto da Copa de 2014 na região Portuária do Rio de Janeiro